<$BlogRSDUrl$>

22/07/2005

O Fim do EconomiaUFpel

Pois é, autoritário como sou, decidi pôr fim ao economiaufpel. Foi bom enquanto durou. Ele serviu bem como o local oficial para comunicar notas, prazos e também para discussões. A questão é que agora o Curso de Economia tem um mega portal (Gracias, Vinícius!) com um ótimo serviço de noticias.

Além disso, eu também me sentia um pouco retraído nos temas que poderia tratar. Afinal, não dava para escrever tudo no blog oficial do curso.

Como eu não conseguiria ficar calado, aceitei o convite do Shikida e passei a fazer parte do De Gustibus Non est Disputandum. Postarei lá a "banda boa" dos comentários e links. A parte administrativa, notas, avisos e outras chatices relacionadas apenas com a UFPel ficará no site de notícias.

Portanto, fiel leitor, agora você tem dois compromissos diários. Visitar a página oficial do curso e uma passadinha no Gustibus (para os íntimos).

(Aos infreqüentes postadores desse blog, eu peço desculpas. A minha sugestão é que você criem seus próprios blogs e divirtam-se tanto quanto eu me divirto postando.)
Data da matrícula

O Prof. Fábio Caetano pede para avisar:

"O Colegiado do Curso de Economia comunica seus alunos que a matricula para o período 2005/2 ocorrerá no dia 03/08/2005 (quarta-feira), obedecendo aos seguintes horários:

1º SEMESTRE: das 14:00 às 15:30
3º SEMESTRE: das 15:30 às 17:00
5º SEMESTRE: das 17:00 às 18:30
7º SEMESTRE: das 18:30 às 20:00"

Lembrete meu: quer esquecer a data ou não mandar alguém com uma procuração (simples mesmo, não precisa ir ao cartório)PERDERÁ A VAGA!
Notas Finais de Economia Internacional

Aqui.

20/07/2005

Texto Disponível!
O texto do professor Nelson está disponível na página do Brazil Fx. Para encontrar o artigo, basta ir no menu aonde está está escrito "Todos" e escolher seu nome.

19/07/2005

Economia da Corrupção

Uma micro-entrevista com o Prof. André Carraro.
Direitos de propriedade intelectual e cerveja

Grupo de estudantes dinamarqueses criaram uma receita de cerveja feita com guaraná. A notícia é que a receita tem o mesmo status jurídico do que o Linux, ou seja, pode ser copiada e alterada, contando que seja dado o crédito aos autores.
Dicas para a apresentação

Com algum atraso, aí vão uma dicas para a apresentação da monografia:

1- Ensaie. É meio ridículo, mas vale a pena. Use um relógio para calibrar o tempo;
2- Imprima uma versão para ser lida em 15/20 minutos. Caso tudo dê errado e você surtar, resta sempre a alternativa de sentar e ler. Também ensaie e calibre o tempo;
3- Leve uma cópia com a mesma paginação da banca;
4- Você sabe usar o retroprojetor? Se não, dê uma treinada para ver a forma certa de colocar a transparência;
5- Nas transparências, use fontes grandes (tamanho 20, no mínimo) e Arial (Não use Times New Roman. Não sobrecarregue a banca repetindo informações detalhas que já estão no texto escrito. A pergunta que você tem que se fazer é "O que tenho de interessante para dizer"? ( Não apareceu nada? .... reformulando: "O que tenho de menos desinteressante para dizer?" :-))
6- Não fique lendo as transparências, nem fique de costas para a banca e o público. Eles são alfabetizados. As tranparências devem ser apenas um guia da tua apresentação e um reforço para os teus pontos mais importantes;
7- A defesa não é o momento para sentimentalismos nem agradecimentos rasgados. Você pode ser mais informal e até contar um pouco dos bastidores e motivação da pesquisa. Mas é prudente não exagerar na informalidade.
8- Não bata-boca com a banca. Defenda seu ponto e o seu trabalho.
9- Só você é quem sabe de todas as falhas do seu trabalho. Se você é uma pessoa razoavelmente normal, está achando agora a sua monografia uma bela de uma porcaria. Não é. Claro que alguns erros que você não percebeu surgirão nos comentários. É normal e esperado. Afinal, a banca está aí para isso mesmo.
10- Refaça o ponto 1 umas 3 vezes, no mínimo.

Boa sorte!

18/07/2005

Minha nova leitura diária

O blog novo do Shikida.
Texto do Prof. Nelson

Nosso professor publicou um artigo no site Brasilfx, voltado para investidores internacionais.
O texto está apenas na área para assinantes, mas vale a pena conhecer o site. Muito bacana mesmo.

14/07/2005

Absurdo

Nunca vi algo tão impressionante. (Mas você precisa um micro bom e banda larga)

13/07/2005

Sexta

Os alunos que quiserem ver as provas corrigidas, ou tirar dúvidas, estarei no ICH na sexta-feira, durante a noite.
Exames

O Exame de Economia Internacional será dia 21/07, as 19:00. O de HPE II, no dia seguinte, no mesmo horário.
Plebiscito

Bem, aí vem a discussão se devemos votar contra ou a favor do porte de armas. E então?
Primeiro, acho interessante separar a discussão em duas.

I - A questão moral. O Estado deve proibir alguém de ter os meios de se defender? Se sim, qual é o limite? (Proibiremos as facas, também). Se não, qual é o limite (Liberaremos a compra de bazucas e explosivo plástico. Afinal, o consumidor é soberano).

II- A questão empírica. A proibição do porte reduz a criminalidade? Bem, aí, por incrível que pareça, a questão fica ainda mais complicada. O estudo básico é o de John Lott "More guns, less crime", em que o autor defende, com todo o instrumental econométrico, que a posse de armas reduz a criminalidade. Certo ou errado, o problema é que o sujeito é bastante picareta. Inventou pesquisas, se fez passar por ex-aluno de si mesmo na internet entre outras diabruras. O trabalho de Lott foi bastante criticado: econometristas encontraram resultados opostos com outros métodos e dados. Eu confesso que parei de acompanhar o debate e acho que não estou sozinho. Como costuma acontecer em questões sutis, não se chega a resultados conclusivos e as pessoas acabam cansando do assunto.

Meu ponto é que as respostas para as quesão moral e a empírica são independentes. Eu posso achar que a proibição vai reduzir a criminalidade e - mesmo assim - ser contra por princípios morais. Igualmente, eu posso achar que o Estado deve impedir a posse e, ao mesmo tempo, acreditar que não haverá redução do crime.

(Se eu votasse no plebiscito, penso que votaria a favor da proibição do porte. Mesmo sabendo que a redução da criminalidade será mínima ou ausente. É... sou incoerente. Só acho que tb deveriam estabelecer uma premiação aos policiais por arma apreendida. De outra forma, apenas o preço do suborno vai aumentar e o número de armas na rua vai continuar o mesmo)

12/07/2005

Porque gosto da concorrência

11/07/2005 - 20h34m
Agnes Dantas - Globo Online

RIO - A Varig, que passa por um processo de recuperação judicial, começou a semana anunciando descontos de até 80% nas passagens entre quatro cidades. A promoção, que segundo a companhia vale por tempo indeterminado, inclui tarifas domésticas de ida e volta em vôos entre São Paulo, Brasília, Porto Alegre e Rio. Os descontos foram anunciados às vésperas da entrada em operação da Webjet, companhia aérea de baixo custo com base no Rio que começa a voar nesta terça-feira para os mesmos destinos em que a Varig oferece descontos. Mas, juntamente às ofertas que sugerem o início de uma guerra de tarifas, também chegou ao mercado o anúncio de ajuste médio de 5% nas tarifas cheias em vôos domésticos.

Pela nova promoção da Varig, os passageiros encontram passagens Brasília-São Paulo (Guarulhos) a R$ 186; Brasília-Porto Alegre a R$ 273; Brasília-Rio de Janeiro a R$ 194; Porto Alegre-Rio de Janeiro a R$ 220; e Porto Alegre-São Paulo (Guarulhos) R$ 188. Entre as opções de preços quem embarcar nos primeiros vôos da Webjet estão Rio-Brasília a R$ 185, São Paulo-Porto Alegre a R$ 188, Rio-Porto Alegre a R$ 248, Brasília-Porto Alegre por R$ 335 e Brasília-São Paulo a R$ 170 (tarifas por trecho). A primeira decolagem está marcada para as 7h do Rio (Galeão/Airj) com destino a Brasília e previsão de chegada às 8h40m à capital federal."

11/07/2005

África

Tem sempre gente que ridiculariza os aqueles norte-americanos que pensam que Buenos Aires é a capital do Brasil e que aqui têm jacaré nas ruas.

Mas o que nós sabemos sobre os países África, por exemplo? O site da BBC Brasil apresenta os mapinhas bem informativos.
Notas de HPE2

Aqui. Ainda vou marcar a data/hora do exame.

09/07/2005

A tragédia dos bens comuns

Ok, é um jogo infantil. Mas é bem bacana ver como a propriedade privada garante mais coelhos no futuro.
Agradeço ao Cláudio Shikida pelo link.

08/07/2005

Boa notícia para o pessoal de monografia

Como a Ângela não estará disponível na terça-feira para receber as monografias, a data limite para a entrega das monografias será prorrogada para quarta-feira, dia 13 de Julho, entre as 18:00 e 21:00 na secretaria.

07/07/2005

Mudança de Horário

O Seminário do Prof. Dr. André Carraro sobre Economia da Corrupção será nessa sexta-feira, as 14:00, no ICH.
Todo mundo lá !!!

05/07/2005

Vale lerBBCBrasil.com | Reporter BBC | Ajuda nem sempre é benéfica para África, diz estudo do FMI.
Da série: o Brasil poderia ser pior...

Só para alertar, a foto que ilustra a reportagem me parece bem representativa do que eu vi lá.
Os efeitos da imigração

Aqui.

04/07/2005

Aguardando colaborações

Prêmio LFV de iguinoransssia Econômica

02/07/2005

Saiu!

Acabou de ser publicado em Português, Freakonomics: o lado oculto e inesperado de tudo que nos afeta.
Os autores são Steven Levitt e Stephen Dubner. O gênio é o primeiro autor. Levitt é economista da Universidade de Chicago e ganhador da medalha John Bates Clark, que é dada apenas para pesquisadores jovens. Dubner é o jornalista que traduziu tudo para os leigos.

O livro chegou a primeiro lugar na lista de mais vendidos no New York Times. (Duvido que outro livro sobre Economia tenha chegado à posição). Acabei de comprar o meu e eu o recomendo com muito entusiasmo!

Os temas cobertos são os mais esquisitos (freak) que podem haver, mas cobertos com todo o rigor científico e apoiado em dados empíricos. Impacto da liberação do aborto na taxa de criminalidade, tráfico de dogras, fraudes de professores em avaliações e até campeonatos de Sumô, foram alguns dos temas investigados por Levitt.

Ah... os autores tem também um blog
, mas que não é lá grande coisa.
LFV

"Estaria disposto a entender a economia se me convencessem de que alguém a entende". Luis Fernando Veríssimo. Revista do SIMERS.

Eu estaria disposto a entender as balelas escritas por ele se me convencessem de que servem para alguma coisa.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?